Good Life - One Republic

domingo, 13 de novembro de 2011

Por onde andei?

 Por onde tenho andado?
 Bom, tenho estado por aí, entre as esquinas da vida tentando viver a vida real enquanto a vida imaginada insisti não dar às caras.
Ando meio sumido daqui, confesso!
Mas a vida tem me dado umas rasteiras, que se não fosse assim também, não seria VIDA!
E como já dizia Viviane Mose: "Se em sua não existirem conflitos, coloque a barba de molho, porque alguma está muito errada!"
Neste ínterim de tempo tenho pensado.
Pensado sobre mim, sobre os outros, sobre as coisas.
Existe algum propósito para estarmos aqui?
Por que temos que, necessariamente, estar com alguém para estar junto? Para estar feliz?
Existirá será um fim para todas as coisas?
Qual o sentido disso tudo?

Pulgas que não me saem de trás da orelha...

Prosa Patética

Nunca fui de ter inveja, mas de uns tempos pra cá tenho tido.
As mãos dadas dos amantes tem me tirado o sono.
Ontem, desejei com toda força ser a moça do supermercado.
Aquela que fala do namorado com tanta ternura.
Mesmo das brigas ando tendo inveja.
Meu vizinho gritando com a mulher, na casa cheia de crianças,
Sempre querendo, querendo.
Me disseram que solidão é sina e é pra sempre.
Confesso que gosto do espaço que é ser sozinho.
Essa extensão, largura, páramo, planura, planície, região.
No entanto, a soma das horas acorda sempre a lembrança
Do hálito quente do outro. A voz, o viço.
Hoje andei como louca, quis gritar com a solidão,
Expulsar de mim essa Nossa Senhora ciumenta.
Madona sedenta de versos. Mas tive medo.
Medo de que ao sair levasse a imensidão onde me deito.
Ausência de espelhos que dissolve a falta, a fraqueza, a preguiça.
E me faz vento, pedra, desembocadura, abotoadura e silêncio.
Tive medo de perder o estado de verso e vácuo,
Onde tudo é grave e único. E me mantive quieta e muda.
E mais do que nunca tive inveja.
Invejei quem tem vida reta, quem não é poeta
Nem pensa essas coisas. Quem simplesmente ama e é amado.
E lê jornal domingo. Come pudim de leite e doce de abóbora.
A mulher que engravida porque gosta de criança.
Pra mim tudo encerra a gravidade prolixa das palavras: madrugada, mãe, Ônibus, olhos, desabrocham em camadas de sentido,
E ressoam como gongos ou sinos de igreja em meus ouvidos.
Escorro entre palavras, como quem navega um barco sem remo.
Um fluxo de líquidos. Um côncavo silêncio.
Clarice diz que sua função é cuidar do mundo.
E eu, que não sou Clarice nem nada, fui mal forjada,
Não tenho bons modos nem berço.
Que escrevo num tempo onde tudo já foi falado, cantado, escrito.
O que o silêncio pode me dizer que já não tenha sido dito?
Eu, cuja única função é lavar palavra suja,
Neste fim de século sem certezas?
Eu quero que a solidão me esqueça.


P.S. - E faço dela as minhas  palavras.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Quais são as razões válidas para se terminar um relacionamento?

Desde quando é tão fácil largar alguém?
O que acontecera aos tempos que um beijo ruim, um cigarro ou um desejo ridículo faziam parte de cada um de nós?
No mercado amoroso atual, é melhor se livrar logo de quem não se comporta bem?
Ou há coisas que devíamos tentar negociar?
Vivemos em uma sociedade onde as pessoas cada vez mais sabem o que querem.
Até que ponto isso é bom? Não estamos escolhendo demais?
Descartamos pessoas num primeiro encontro com uma facilidade muito grande, as vezes nem tentamos conhecer de fato aquela pessoa, tentar mais uma vez, dar uma chance pra ver o que acontece. Quem sabe aquele pequeno defeito que percebemos num primeiro momento não é substituído por um belo sorriso, um olhar carinhoso, uma inteligência incrível?
Mas é isso que fazemos, descartamos e vamos para o próximo esperando que "o próximo" seja finalmente o príncipe encantado e, confesso, eu sou um daqueles que descartam num primeiro momento.
Mas já tentei dar uma chance pra ver o acontece. Já insisti algumas vezes pra tentar fazer dar certo.
E na maioria das vezes, meu sexto sentido estava correto. Não era pra dar certo.
Mas então por que fico com uma raiva danada quando sou descartado?
Acho sou aquela pessoa da música do Léo Jaime 'A Fórmula do Amor'.
Tentativas, tentativas, tentativas...
Pra quem realmente a coisa acontece? Pra quem realmente dá certo? Ah, lembrei....Cinderela!!!!


"Eu tenho o gesto exato, sei como devo andar
 Aprendi nos filmes pra um dia usar
Um certo ar cruel de quem sabe o que quer
Tenho tudo planejado pra te impressionar;
Luz de fim de tarde, meu rosto em contra-luz
Não posso compreender, não faz nenhum efeito
A minha aparição será que errei na mão
As coisas são mais fáceis na televisão
Mantenho o passo alguém me vê
Nada acontece, não sei porque
Se eu não perdi nenhum detalhe
Onde foi que eu errei..."

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Solidão

“Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear oufazer sexo... Isto é carência!Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... Isto é saudade! Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio!Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente... Isto é um princípio da natureza!Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância!
Solidão é muito mais do que isto... SOLIDÃO é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma." Chico Buarque

Quando será que realmente acontece?

Será que a história de "Uma Linda Mulher" aconteceria na vida real? E Cinderela? Romeu e Julieta? Jack e Rose? Enis del Mar e Jack Twist?
Ultimamente voltei a questionar se essas coisas são realmente verdadeiras, se tudo que fazemos não é para imitar algo que vemos sendo propagado pela mídia. Ando meio amargo, eu sei. A vida tem me deixado assim. Por que não eu? Por que nunca acontece comigo? Será que num vou sentir nunca a sensação de amar e ser amado? Por que é tão difícil alguém se interessar por mim? Olhar pra dentro de mim, nutrir sentimentos. Quando será que realmente acontece? Será que vai acontecer? Começo a duvidar cada vez mais. Nunca namorei na adolescência, não pude. Meu desejo, que nem mesmo eu entendia, ia contra todas as práticas aceitáveis. Estava me descobrindo enquanto gay em uma época que inexistia internet e, muito menos, qualquer tipo de informação. Como queria as vezes ter sido do lado da maioria, dos 'heteros'. Ter me apaixonado, namorado na adolescência. Saindo de um relacionamento e entrando em outro. Nunca fui assim. Pra mim as coisas sempre foram muito mais difíceis, mais complicadas, mais complexas mesmo. Me tornei adulto, e pouco mudou. Continuo sozinho. Esperando. Esperando. Alguém. Todos ao meu redor possuem. Alguém.Quando será que realmente acontece? Pra quem realmente dá certo? Cinderela?

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Metade


Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
Que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que eu penso mas a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste, e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro ter dado na infância
Por que metade de mim é a lembrança do que fui
A outra metade eu não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção.
E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.
Oswaldo Montenegro

O Primeiro Ano do Resto de Nossas Vidas



Faz dez anos que saí da casa dos meus pais! Dez anos!!! E assistindo ao filme do Joel Schumacher 'O primeiro ano do resto de nossas vidas' eu parei para refletir um pouco na minha própria vida. O que eu conquistei nesses dez anos? Consegui me libertar de uma mãe controladora e opressora, moro sozinho no meu apartamento, tenho um cantinho pra chamar de 'meu', tenho uma profissão que, aos trancos e barrancos tenho tentado me estabelecer, mas, assim como aqueles jovens de 20 e poucos anos do filme, eu ainda não sei direito o que sou, o vai ser de mim daqui a mais dez anos, se estou na profissão certa, qual seria o meu papel aqui neste mundo, enfim, ainda me sinto meio perdido. No filme vi jovens recém-saídos do colégio que estavam amadurecendo enquanto adultos, alguns com mais facilidade, outros com certa dificuldade, mas todos tentando encontrar um caminho a seguir e, em certo momento, me identifiquei um pouco com cada um deles. Ainda nutro muitos sonhos que acredito serem típicos de minha idade, quero viajar pela Europa, sem rumo, sem destino, quero fazer faculdade de cinema, jornalismo, ciências sociais ou algo nesse sentido, quero morrer por amor, fazer loucuras por alguém. Creio que tudo que acontece hoje deva servir pra alguma coisa no futuro, todas as dúvidas hão de ser resolvidas no tempo certo, assim eu acredito! Com dizia Pedro Bial:

"Aproveite bem, o máximo que puder, o poder e a beleza da juventude! Ou então esquece! Você nunca vai entender o poder e beleza da juventude até que tenham se apagado"...

"Não se preocupe com o futuro, ou então, preocupe-se se quiser mas saiba que, preocupação é tão eficaz quanto mascar chiclete pra tentar resolver uma equação de álgebra"...

"As encrencas de verdade de nossa vida tendem a vir de coisas que nunca passaram pela nossa cabeça e nos pegam no ponto fraco a 4 da tarde de uma terça-feira"

"NÃO SE SINTA CULPADO POR NÃO SABER O QUE FAZER DA VIDA, AS PESSOAS MAIS INTERESSANTES QUE EU CONHEÇO NÃO SABIAM AS 22 O QUE QUERIAM FAZER DA VIDA, ALGUNS DOS QUARENTÕES MAIS INTERESSANTES QUE CONHEÇO, AINDA NÃO SABEM!"

"Talvez você case, talvez não, talvez tenha filhos, talvez não, talvez se divorcie aos 40, talvez dance ciranda em suas bodas de diamante"

SUAS ESCOLHAS TEM METADE DAS CHANCES DE DAR CERTO, É ASSIM PARA TODO MUNDO!!!!!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Por que Rosalinda?!

     Você conhece Rosalinda? Rosalinda é uma das muitas personagens de Shakespeare, tida por alguns críticos, como uma das mais importantes, aparece em várias obras do inglês, inclusive na mais famosa delas, Romeu e Julieta.
     Começo perguntando se você conhece Rosalinda porque, invariavelmente, já fomos, vez ou outra, alguma Rosalinda nas esquinas da vida. 
     Eu explico.
     Rosalinda aparece em Romeu e Julieta na primeiro parte do conto sendo a amada de Romeu mas eis que Romeu conhece Julieta e, simples assim, se apaixona perdidamente! E a partir daí Rosalinda desaparece da história.
     Onde estaria Rosalinda?
     O que aconteceu com ela?
     Será que já fomos alguma 'Rosalinda' nas estradas da vida?
     Percebe-se que Rosalinda, na obra de Romeu e Julieta, nada mais era do que uma ponte para o grande amor de Romeu. Quantas pontes já fomos para os grandes amores? 
     Será que Rosalinda um dia terá encontrado seu grande amor?
     Ou seria o destino de Rosalinda ser somente o elo, ou a precursora que uniria mais tarde dois corações?
     
    Escrevo tudo isso porque tenho pensado muito a respeito. Não suporto mais ser a 'Rosalinda'  dos outros. Chega!!! Definitivamente não dá mais!!! Todos que encontram me usam como suporte para depois se jogarem nos braços de outros amores...e eu sempre acabo sendo descartado como se fosse copo descartável, fácil de usar e jogar fora. Não posso acreditar que Rosalinda tenha terminado seus dias sozinha. Em algum lugar deva ter tido um coração que batia em sintonia com o dela. Um coração que a via e a amava como se fosse a própria Julieta de Romeu. Assim  também como não posso acreditar que não exista ninguém disponível a me amar, que venha até mim de coração aberto, sincero e pronto para o que der e vier! Que não se furte de dizer: "Oh, onde esta Romeu?"...
   Chega de esperar as pessoas se acertarem e/ou terminarem com outros para se dedicarem a mim!    Chega!!! Deve existir alguém aberto para mim!!! Eu!!! Ser Humano!!! 
   Continuo acreditando nisso...e tentanto....


    "MEU AMOR, ESSA É A ÚLTIMA ORAÇÃO PARA SALVAR TEU CORAÇÃO, 
     CORAÇÃO NÃO É TÃO SIMPLES QUANTO PENSA,
     NELE CABE O QUE NÃO CABE NA DISPENSA,
     CABE O MEU AMOR,
    CABE TRÊS VIDAS INTEIRAS, 
    CABE UMA PENTIADEIRA,
    CABE NÓS DOIS,
    CABE ATÉ O MEU AMOR..."



    
   
   

sexta-feira, 17 de junho de 2011

cOiSaS...

Dá vontade de mandar meia dúzia de gente tomar no %#@!¨*&¨e correr pra casa choorando, 
se trancar no quarto fumaar um cigarro e jogar playstation até ficar vesgo; 
isso de escolher qual cara eu vou vestir hoje fode com tudo, seempre!
É, eu confesso que não é exatamente a realidade que eu esperava encontrar. 
Talvez isso mude. Taalvez voce entre na minha vida sem tocar a campainha e me sequestre de uma vez. 
Talveez você pule esses três ou quatro muros que nos separam e segure a minha mão, assim, ofegante, pra nunca mais sooltar.
 Talvez você ainda possa pular no rio e me salvar. 
Ou talvez eu só precise de férias, um PORRE e um NOVO AMOR. 
Porque no fundo eu sei que a realidade que eu sonhava afundou num copo de cachaça e virou utopia!

terça-feira, 14 de junho de 2011

pRa queM eStá ApaIxoNadO...

Não deixe de acreditar no amor, mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá, manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam, e certifique-se de que quando estão juntos aquele abraço vale mais que qualquer palavra...

                                                                                              "Luís Fernando Veríssimo"

segunda-feira, 6 de junho de 2011

“Todos nós precisamos de alguém que cuide da gente!”

“Eu me preocupava muito sobre quem eu seria quando crescesse;
Quanto dinheiro eu iria ganhar;
Ou se algum dia eu me tornaria uma pessoa famosa;
Às vezes, aquilo que você mais quer não acontece;
E, às vezes, o que você jamais espera, acontece;
Você conhece milhares de pessoas o tempo todo;
E nenhuma delas te toca realmente;
Aí você conhece uma pessoa especial;
E a sua vida muda para sempre!”

    Vi esse texto num filme este fim de semana e fiquei encantado! Engraçado, mas existem alguns momentos, ás vezes, que conseguem mudar minha percepção das coisas! Andava tão desiludido com a falta de ter 'alguém' ao meu lado que já estava achando que essa história de amor entre duas pessoas, alma gêmea e essas coisas do gênero era tudo 'balela', papo pra gente de cabeça fraca, coisa para vender filme, livro, novelas e afins...Mas daí, eis que assisto "Amor e outras Drogas' e me surpreendo com algumas coisas que ouço. Em um certo momento do filme o 'mocinho' da história diz que 'todos nós precisamos de alguém que cuide da gente' e, neste momento, começo a refletir e percebo que realmente, buscamos tanto alguém porque queremos, muitas das vezes, sermos cuidados, cuidar, sermos amados, amar...essa sensação de segurança que o outro passa e que muitas vezes não conseguimos sozinhos.
Eu estou sem ninguém a tanto tempo que acho que nem sei mais o que é ser amado, ser lembrado no fim do dia, ser surpreendido e, confesso, que algumas coisas 'normais' de um namoro eu nunca provei.
    Depois disso tudo, mais uma vez, acho que vou voltar a acreditar que em lugar deste país, em algum lugar deste mundo vasto mundo, exista um coração batendo em sintonia com o meu. Um coração que não olhe somente a aparência, mas que me olhe como um todo, com todos os meus defeitos e qualidades que me tornam, acima de tudo, humano!!!

domingo, 15 de maio de 2011

Tudo passa...

Todas as coisas na Terra passam.
Os dias de dificuldade passarão...
Passarão, também, os dias de amargura e solidão.
As dores e as lágrimas passarão.
As frustrações que nos fazem chorar... Um dia passarão.
A saudade do ser querido que está longe, passará.
Os dias de tristeza...
Dias de felicidade...
São lições necessárias que, na Terra, passam, deixando no espírito imortal
as experiências acumuladas.
Se, hoje, para nós, é um desses dias,
repleto de amargura, paremos um instante.
Elevemos o pensamento ao Alto
e busquemos a voz suave da Mãe amorosa,
a nos dizer carinhosamente: 'isto também passará'
E guardemos a certeza pelas próprias dificuldades já superadas que não há mal que dure para sempre,
semelhante a enorme embarcação que, às vezes, parece que vai soçobrar diante das turbulências de gigantescas ondas.
Mas isso também passará porque Jesus está no leme dessa Nau
e segue com o olhar sereno de quem guarda a certeza de que a
agitação faz parte do roteiro evolutivo da Humanidade
e que um dia também passará.
Ele sabe que a Terra chegará a porto seguro
porque essa é a sua destinação.
Assim, façamos a nossa parte o melhor que pudermos,
sem esmorecimento e confiemos em Deus,
aproveitando cada segundo, cada minuto que, por certo, também passará.


Tudo passa...
exceto Deus.


Deus é o suficiente!


Chico pegou carona na Epístola de Paulo aos Coríntios: 'Tudo passa'. E escreveu uma das páginas mais sábias da literatura humana.


Um texto que se aproveita a todas as religiões, a merecer reflexão profunda em face dos dias difícieis por que atravessa a Humanidade.


Uma página de amor e esperança para os aflitos.
Chico Xavier

o quE eStaRá aConTecEndo?

Já dizia aquele velho ditado: "Desgraça pouca é bobagem", pois bem, tô atravessando essa tal maré de azar!
Olha, nunca vi tudo dar tão errado ao mesmo tempo! Às vezes olho pro céu e digo: "Já deu neh?! Chega!" É perda de emprego, é vida sentimental que tá uma droga, é briga séria com pais, vida religiosa então, vixi...tá complicado segurar a barra! Sinto em alguns momentos que as coisas acontecem para todos ao meu redor, menos pra mim! Meus amigos estão por aí, em ótimos empregos, com belos namorados e situações familiares estáveis. E não estou sendo invejoso não! Tudo que conseguiram é mérito deles! Tudo acontecendo a todo momento pra todo mundo, quer dizer, todo mundo não, menos Eu! O que estará acontecendo comigo?! Ás vezes não vejo sentido em minha vida! O que estou fazendo? Acordando, trabalhando, ganhando uma porcaria de salário, voltando pra casa, caçando na internet, transando com um aqui, outro ali as vezes, lendo pouquíssimo, é porque até para ler eu ando com preguiça, sem ânimo pra sair fds (e sem grana pra isso tbm), e assim os dias passam...não produzi nada, não tô fazendo nada de especial, não tô vendo sentido em nada! O que eu tô fazendo com minha vida? Me formei em 2007, naum sei que rumo tomar, não sei se presto outra facul, sem ânimo pra mexer com mestrado...como dizia Silvio Brito: 'Pare o mundo que eu quero descer!' Queria gritar as vezes: Deus, manda uma luzzzzzzzz!!! Lanterna de Farol por favor!!! Onde tu isso vai dar? Pra onde vou? Será que uma hora a coisa vai? Perguntas...perguntas...perguntas...o que estará acontecendo?


Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!
Mário Quintana

terça-feira, 10 de maio de 2011

fRasE Campeà dE MaiO

"As pessoas ficam procurando o amor como solução para todos os seus problemas, quando na realidade, o amor é a recompensa por vc ter resolvido os seus problemas"

domingo, 1 de maio de 2011

Desilusão Não Mata? Ensina a Viver!

A maioria das ideias de minhas postagens sempre começou com uma conversa, alguma coisa que li, escutei, enfim, sempre surgiu de alguma outra coisa ou alguém. Pois bem! Tenho conversado com vários amigos e todos me falam da tal 'desilusão amorosa'; de 'nunca mais' querer se relacionar com alguém; de duvidar que um amor cura outro amor; de achar que não vale a pena; que todos são iguais; que ninguém presta; e blá blá blá blá...
 Não vou julgar aqui as atitudes e reações de cada pessoa, até porque, cada pessoa é única, cada reação é única e somente cada um sabe pelo o quê passou! Mas vou tentar analisar as reações humanas a tais desilusões e digo 'tentar' por que não sou psicológo e muito menos pesquisador/especialista no caso. Mas acho que a (pouca) vivencia me dá uma certa credibilidade sobre tal assunto.
 Creio que as reações iniciais que todo mundo tem quando termina um relacionamento são parecidas, as dores, o sentimento de perda, aquele flashback que fica passando em nossa cabeça, relembrando tudo, e tentando achar onde erramos, quem errou e, o pior de tudo, aquele sentimento que novamente fracassamos, que mais um amor, planos e futuro se vai.
 Tudo isso, todos esses sentimentos são absolutamente normais, acontece com todo mundo (literalmente)!
 O que não se pode é achar que todo mundo é igual, que nunca mais amaremos ninguém, que ninguém merece nosso amor, que todo mundo só nos engana...enfim...o que aconteceu - resumidamente - é que existiam duas pessoas que não estavam na mesma sintonia - só isso! Simples não?! Parece mas não é tão simples né!
  Todas as vezes que eu terminei um relacionamento - e essa é minha reação - eu procuro ocupar minha mente, fico no meu canto, leio muito, assisto muito filme, ouço muita música, converso com amigos e com o tempo a dor vai passando, ficando menor, menor, menor, menor...quase imperceptível...quase eu disse!
 O que não podemos é desacreditar do sistema! Amor existe sim! Tantos conseguem, por que logo você, ou eu, não vamos conseguir?! Tá difícil? Tá! É a vida! Sigamos em frente! Por mais que as vezes eu até chegue a pensar que minha 'alma gemêa' não esteja neste planeta...rs...continuo na luta, tentando, um dia há de aparecer alguém que me mereça e me aceite como sou e se não der certo também...foi lindo enquanto durou!

terça-feira, 26 de abril de 2011

Por que a grama do vizinho é sempre mais verde?

  Dias atrás estava conversando com um amigo que mora atualmente em outra cidade. O sonho dele sempre foi ir morar em São Paulo e agora ele está em São Paulo! Mas conversando com ele pelo msn, ele me disse que estava sentindo muita falta de Campo Grande, e mais, o sonho dele sempre foi ir solteiro para São Paulo, coisa que em sua visitas por sampa ele nunca conseguiu! E desta vez ele foi morar de vez em sampa, solteiro! Mas chegando lá, arrumou um novo namorado daqui (!) E agora ele está namorando, em São Paulo, um cara daqui de Campo Grande. Coisa louca neh?!
  Bom, contei isso porque no meio de minha conversa com este amigo eu disse a ele: a grama do vizinho é sempre mais verde! E depois fiquei me questionando: Eu sou assim também? Acho que sim! Quando estou solteiro eu quero desesperadamente alguém; quando estou namorando as vezes me dá uma vontade louca de ficar solteiro. Credo! Trem doido sô! O meu sonho sempre foi ir pra sampa também. E por várias razões: as baladas, a cultura infinita, a cidade que nunca dorme, aproveitar e curtir minha juventude, os homens lindos, enfim...mas as vezes penso que, eu vim de cidade do interior do estado, meu sonho era vir para Campo Grande porque achava que somente aqui minha vida ia "acontecer"! E pouco ou nada mudou! Me sinto frustrado as vezes! Claro que cresci como ser-humano, vivi e aprendi muito, conheci muita gente de todo tipo. Mas as vezes ainda me sinto estagnado como quando ainda estava lá no interior do estado enfiado em uma cidade de 40 mil habitantes. E me questiono que, talvez, essa ânsia de ir para sampa acabe não dando em muita coisa também. Que o problema não esteja na cidade, talvez esteja em mim mesmo! Talvez esteja nesta natureza mórbida do ser-humano de achar que nunca nada está bom, que sempre estará faltando alguma coisa, que a felicidade ainda não chegou, que temos que correr atrás dessa tal "vida perfeita" que tantos apregoam por aí...e muitas vezes acho que já somos felizes e não percebemos e acabamos deixando o bonde de nossa vida passar e o meu maior medo é perceber isso só lá na frente e perceber que a minha grama era bem verdinha sim! Só eu não percebia isso!

domingo, 24 de abril de 2011

Tô namorando! Tô Namorando! Tô namorando!

Eu não tô namorando! Mas ouço essas frases do título diariamente! De todo mundo sem generalizar! Costumo dizer que o mundo deve estar em números pares e eu sou o número ímpar! Cara, eu fico indignado porque todos falam que querem relacionamento mas ninguém se apega a ninguém, e eu sinto as vezes que todos ao meu redor encontram alguém menos eu! E por que eu? Por que não consigo? Será que tenho pensado muito nisso? Tentado muito? Me desesperado muito? Feio sei que não sou! Arrogante? As vezes, mas quem não já não foi? Burro? Definitivamente não! Aparecer alguns caras, até que apareceram, mas nenhum tinha aquela coisa que faz a gente suar frio, os olhos brilharem, o coração bater desesperadamente...daí os amigos falam: cara, tu tá escolhendo demais! Eu não acho que seja verdade! Não vou ficar só por ficar! Tem que rolar química, tesão, paixão...a gente tem que ouvir sininhos.....hehehehe...e por coincidência do destino ou não, todas as vezes que ouço sininhos, eu ouço sozinho...rs...porque geralmente a outra pessoa não está na mesma conexão que eu e daí eu começo tuuuddooo de novo, do zero.Já tentei desligar a cabeça, relaxar, esquecer isso um pouco mas sempre quando estou conseguindo alguém vem com a notícia: 'fulano tá namorando acredita?!'...daí minha neura volta e começa tudo de novo de novo...Quando será que vou encontrar a pessoa certa para mim?! Será que ela existe? Será que existe alguém para mim? É pedir muito um cara bacana, boa pinta claro, mas inteligente, bem-humorado, apaixonado, feliz por estar ao meu lado....? Será que continuo tentando? Será???

 Bom, deixo-vos com este poeminha:
"Ela diz: se você me ama, grita pro mundo inteiro
Ele sussurra: te amo
Ela diz : pq você sussurrou ?
Ele diz: pq você é todo o meu mundo."

terça-feira, 19 de abril de 2011

Por Onde Andei...

Quem sou Eu? Pergunta difícil! Quem sabe este espaço e as pessoas que um dia lerão este blog me ajudem a respondê-la! Bom, eu sou um cara de 27 anos, professor, que vive uma vida tranqüila! Curto música, leitura e sou um apaixonado por cinema (e falarei mmmuuiiitttoooo de cinema aqui)! Sou gay, aceito numa boa minha orientação sexual, já tive mais problemas quanto à isso, hoje não mais! Sou um cara que me sinto solitário por demais e, talvez, a vontade de criar um blog seja para tentar falar com alguém, ou com ninguém, vai sabê! E não é que eu não tenha amigos, eu tenho, muitos! Uns são como irmãos, outros, eu mantenho aquela saudável distância por não concordar com algumas coisas, como estilo de vida, de pensar, e por ae vai...mas mesmo assim considero meus amigos, afinal de contas, não somos iguais nem na íris de nossos olhos, que dirá na maneira de pensar! O título do meu blog remete a música de Nando Reis 'Por Onde Andei' pois este espaço será a tradução do que tenho feito, vivido, vivenciado e aprendido! Pretendo compartilhar minhas emoções, meus sentimentos, minhas dores, meus demônios, minhas frustrações, alegrias, dúvidas, enfim...tudo isso que a vida teima em nos presentear diariamente. Se terei meia dúzia de leitores, 2 ou nenhum não me será importante neste primeiro momento, pois quero acima de tudo jogar pra fora, jogar tudo que muitas vezes me transforma numa pessoa que eu não gostaria de ser e sei que não existe melhor terapia do que a fala e a escrita, enfim, o se expressar de maneira geral. Aos poucos vou falando mais e mais de mim, até porque não dá pra por tuuuudo de mim só aqui, isso virá aos poucos, com o tempo...e com as experiências de 'por onde andei'....

Ah! Se estiver alguém lendo este meu espaço, me dá um alô! Não me deixe falando sozinho....hehehe